quarta-feira, 30 de agosto de 2017

O meu segredo de Kathryn Hughes

     Opinião: Depois de ter lido A carta não poderia deixar de ler O meu segredo de Kathryn Hughes. Gostei tanto do primeiro que me ficou na memória e assim parti com grandes perspetivas para este segundo livro. Perspetivas que não foram defraudadas.
     O meu segredo conta a história de um grupo de amigos que tem um acidente de viação, anos antes da história inicial, depois de um dia passado em conjunto, dia esse bastante agitado e surpreendente para todas as personagens. Esse acontecimento vai condicionar a vida de Beth e de Michael, o seu marido, que achando que o seu amor era construído por eles ao longo das férias passadas em conjunto, vão perceber que um segredo uniu Mary, a mãe de Beth, e Daisy, aquela amiga que salva Michael de uma dura vida, após ter perdido o pai no referido desastre. Estas sobreviventes ao acidente acabam por se unir, e por unir os dois jovens.
     A juntar a isto o filho de ambos, Jake necessita de um transplante de rim e não aparece um dador compatível dentro da família o que condiciona as opções do casal. No momento em que a narrativa começa a mãe de Beth morre, e a ida a casa de Mary faz com que Beth descubra o seu segredo.
     Como de costume não li a contracapa e por isso fui para o livro sem outra perspetiva que a ideia agradável que me tinha ficado do romance anterior. Fui, pois, apanhada de surpresa no que respeita ao enredo, que funcionando em tempos diferentes, permite-nos perceber o presente, através do conhecimento do passado. As surpresas sucedem-se e não são de todo perceptíveis ou espectáveis. Perde-se esta surpresa no final, embora não pudesse ser outro. Outro talvez pusesse em causa a coerência do livro.
   Como de costume fui ver o titulo original e verifiquem que a tradução direta seria apenas O segredo. Para mim seria muito mais lógico este titulo, pois o que se passa não pertence apenas a uma personagem, mas sim a várias. Não é um segredo de alguém, e que condiciona a vida de uma personagem, mas sim um segredo coletivo, começando por três mulheres unidas à volta de uma quarta, e que depois se prolonga no tempo a ponto de condicionar a geração seguinte.
     A escrita é clara, com uma cadência que leva a que a leitura seja feita de uma forma fácil e o leitor sinta a necessidade de continuar para saber como acaba a história. A construção das personagens, o enredo e a narrativa são uma mais valia na construção do livro.

   Por isso e, mesmo para quem não leu o primeiro, deve ler este. Uma história de humanidade, de segredos, de salvação e de apoio entre amigos, amigos que acabam por se tornar família. 


     Sinopse: Há quarenta anos, foi guardado um segredo que alterou a vida de duas mulheres para sempre.
     Todos os dias, ao olhar para o filho Jake, deitado numa cama de hospital, Beth agarra-se a uma réstia de esperança que insiste em fugir. A sua vida, ainda tão curta, depende de um transplante de rim. Nem ela, nem o marido, são compatíveis e já não têm familiares diretos.
     Mary, a mãe solteira de Beth, acaba de falecer e sempre se recusou a falar sobre o pai, mesmo sabendo que a vida do neto podia depender disso. Mas tudo muda quando Beth visita a casa da mãe. Uma carta perdida no meio das coisas de Mary prova que Beth é sua filha adotiva. A possibilidade de encontrar parentes compatíveis com Jake torna-se real para Beth.
    Este é o ponto de partida para a descoberta de um passado até então desconhecido. Munida apenas da sua determinação e das escassas palavras encontradas, Beth inicia uma luta contra um muro de segredos, dúvidas e silêncios.
    O Meu Segredo é um romance intenso e dolorosamente comovente que nos leva a acreditar que os milagres podem mesmo acontece.